Hong Kong flexibiliza regras para entrada de estrangeiros

Hong Kong flexibiliza regras para entrada de estrangeiros

Assim como o Japão, o governo de Hong Kong anunciou mudanças na sua fronteira, flexibilizando as regras para entrada de passageiros vindos do exterior.

A partir das 6h do dia 26 de setembro [horário local], essas chegadas [passageiros vindos do expetior] poderão ir para casa ou para o hotel de sua escolha para um período de vigilância médica de três dias logo após a conclusão de um teste de ácido nucleico no aeroporto. Eles não precisam esperar o resultado do teste no aeroporto e podem sair de lá por qualquer meio de transporte.

Ao obter um resultado de teste negativo, os viajantes receberão um código âmbar em seu aplicativo móvel LeaveHomeSafe para restringir sua entrada em instalações programadas. Embora possam sair durante o período de vigilância médica, não podem entrar em locais que verificam proativamente o passe de vacina, como restaurantes e bares.

Além disso, eles precisam fazer testes rápidos de antígeno (RATs) diariamente e testes de ácido nucleico uma vez a cada dois dias nos primeiros sete dias após a chegada a Hong Kong.

Após completar o período de vigilância médica, os viajantes estarão sujeitos ao automonitoramento nos quatro dias subsequentes.

Além do arranjo de quarentena “0+3”, […] requisitos de embarque para viajantes de entrada serão simplificados, segundo o qual eles devem apresentar um resultado negativo de um RAT [teste rápido] realizado dentro de 24 horas antes da partida, em vez de um teste de ácido nucleico que foi realizado em 48 horas.

[…] Para não residentes de Hong Kong com idade igual ou superior a 12 anos, apenas aqueles que estão totalmente vacinados ou possuem um certificado de isenção médica de vacinação COVID-19 podem vir a Hong Kong.

Governo de Hong Kong (www.news.gov.hk)

Ou seja, ao chegar em Hong Kong o viajante será colocado classificação âmbar/amarelo por três dias após o resultado de teste negativo realizado no aeroporto. Durante esse período, o viajante pode ficar onde quiser (casa/hotel) e usar o transporte público, mas não pode entrar na maioria dos ambientes públicos. Se todos os testes realizados nesse período de três dias comprovarem que o viajante não está infectado com o coronavírus, ele passa a ser classificado como azul, e pode sair livremente para explorar Hong Kong, incluindo o Hong Kong Disneyland Resort.

Mais informações no site oficial do governo de Hong Kong (www.coronavirus.gov.hk).

Passagens sumindo

Logo após o anúncio, o site da Cathay Pacific, principal companhia aérea que opera de Hong Kong, passou a operar com fila virtual por conta da alta procura por bilhetes. A empresa prometeu adicionar 200 voos adicionais em outubro para atender a crescente demanda.

Um parque bem diferente

A Hong Kong Disneyland está em uma transformação completa. Desde o início da pandemia, o parque ganhou um castelo novo como marco central do parque, e também um novo espetáculo noturno e outro diurno.

Imagem: Hong Kong Disneyland

Comentários

%d blogueiros gostam disto: